sábado, 6 de março de 2010

Calvinismo: essencial para a fé?

Faço minhas as palavras do médico e teólogo David Martyn Lloyd-Jones, no livro "Discernindo os Tempos" da PES. No trecho seguinte, ele explicita sua convicção acerca dos pontos que são essenciais e dos que não são essenciais à fé cristã. Que eu sempre me lembre disso antes de discutir com algum irmão arminiano.

"Uma delas é a crença na eleição e na predestinação. Pois bem, eu sou calvinista; creio na eleição e na predestinação; contudo nem sonho em colocá-la sob o título de pontos essenciais. Coloco-a sob o título de pontos não essenciais. Notem bem, eu condeno o pelagianismo; eu digo que o pelagianismo é uma negação da verdade das Escrituras quanto à salvação - isso cai fora. Mas estou pensando no arminianismo, em suas várias formas e, portanto, não coloco isto na categoria de pontos essenciais.
Não, pela seguinte razão, que isto, para mim, é matéria de entendimento. Você não é salvo pelo seu preciso entendimento de como esta grande salvação chega a você. O que você precisa ter claro na mente é que está perdido e condenado, sem esperança e sem amparo, e que nada pode salvá-lo, senão a graça de Deus em Jesus Cristo, e unicamente Ele crucificado, levando sobre si o castigo dos seus pecados, morrendo, ressurgindo, ascendendo ao céu, enviando o Seu Espírito, e a regeneração. Esses são os pontos essenciais.

Agora, quando você vem e me pergunta: exatamente como eu chego a crer nisso? Eu digo que é matéria de entendimento da mecânica da salvação, não do método da salvação. E aqui, embora eu mesmo tenha ideias muito definidas e sólidas sobre o assunto, não me separarei do homem que não consegue aceitar e abraçar as doutrinas da eleição e da predestinação e que é arminiano, contanto que ele me diga que todos nós somos salvos pela graça, e contanto que, como o calvinista concorda, como deve concordar, que Deus chama os homens, em toda parte, ao arrependimento. Contanto que ambos estejam dispostos a concordar acerca dessas coisas, eu digo que não devemos romper a comunhão. Ponho, assim, a eleição na categoria
de pontos não essenciais."

Discernindo os tempos: palestras proferidas entre 1942 e 1977/D.M.Lloyd-Jones/Editora
PES, SP, 1994, p.370.

Abraços!

Um comentário: